Earth Day um dia dedicado ao planeta terra

“Earth Day”,  não é apenas um dia especial para o planeta terra, mas um lembrete que este planeta deveria ser especial sempre! É preciso amar este lugar aonde vivemos, zelar para que continue o mais saudável possível e curtir nossa estadia aqui.

Desde 1970, no dia 22 de abril se celebra o dia do planeta Terra. Um dia dedicado a um lugar que hospeda nossa forma de vida e que ao invés de cuidarmos dia após dia maltratamos e mutilamos não para sobrevivência, mas por ganância.

“Earth Day” é uma celebração mundial que abrange mais de 193 países. Este dia representa um momento para refletirmos sobre o impacto do ser humano no planeta. Sobre tudo aquilo que a Terra nos dá diariamente sem pedir nada em troca. É um dia para encontrar caminhos sustentáveis e traçar novos objetivos para diminuir efetivamente os danos que a humanidade causa ao planeta pelo simples fato de sugarem sua vitalidade.

Voltando no tempo… à terra

A Terra tem cerca de 4.5 milhões de anos de vida. Esta idade é baseada em datação radio métrica de meteoritos e é consistente com as idades das mais antigas amostras terrestres e lunares.

O homo sapiens surgiu na África Oriental entre 190.000 e 160.000 anos atrás, depois se espalhou para o leste do Mediterrâneo em torno de 100.000 a 60.000 anos atrás, e pode ter chegado à China 80.000 anos atrás. Atualmente, os seres humanos estão distribuídos em toda a Terra sugando sua energia, devastando florestas, poluindo e lentamente matando-a.

No final das contas temos muito a refletir a respeito deste assunto, pois “os seres humanos” considerados os seres mais evoluídos e inteligentes são os únicos habitantes deste paraíso que destroem e poluem aquilo que é essencial para sua sobrevivência aqui. Nosso corpo precisa de ar e água, dois elementos importantíssimos. Se paramos para olhar veremos que a qualidade do ar que respiramos e as condições de nossa água estão há muito tempo longe do que pode ser considerado ideal.

Crescimento exponencial

Na verdade, a cada dia que passa a população mundial aumenta e os recursos naturais diminuem, a biodiversidade está prestes a extinguir-se e vivemos em florestas de concreto.

Por volta do ano 8.000 A.C. calcula-se, por meios estatísticos e científicos, que a população mundial girava em torno de 5 milhões de pessoas. No ano de 1650 D.C. a população mundial atingia a cifra de 500 milhões. Fazendo as contas, nesse arco de tempo, a população do planeta simplesmente explodiu.

No ano 1850 D.C. a população da terra atingiu 1 bilhão de pessoas. Foram suficientes apenas 200 anos para que a população dobrasse.

Hoje somos cerca de 7,5 bilhões de seres humanos neste planeta!

Este fenômeno de crescimento é denominado de crescimento exponencial que muitos chamam de explosão demográfica.

Longevidade humana

Antigamente, mesmo que a quantidade de nascimentos fosse grande, a taxa de mortalidade era maior ainda. O homem era um ser natural e hoje pode ser considerado antinatural.

A vida média de um ser humano era de aproximadamente 25 a 28 anos de idade. Naquela época, o equilíbrio natural do planeta se encarregava de manter a população humana equilibrada com o ecossistema. Mas também as guerras, doenças epidêmicas, catástrofes da natureza e desconhecimento de como prevenir doenças endêmicas e pestes são as razões maiores para se viver tão pouco tempo. Isso significa que, anualmente havia um acréscimo moderado da população e de todos os outros seres viventes. Fazendo com que a presença humana fosse suportável pelo meio ambiente.

Quando a mente chegou…

Todos os seres vivos podem se adaptar às condições ambientais, mas só até um limite. Mais do que isso, podem até morrer. Alterações fisiológicas não significam descendência, pois não há modificação no material genético para que possa ser transmitido a outras gerações.

O ser humano começou a utilizar seu cérebro cada vez mais. Sendo esta sua necessidade mais recorrente, o cérebro humano foi adaptando-se e aprimorando-se. A partir deste propósito começou a desenvolver técnicas que permitiram o aumento da produção de alimentos, tanto no plantio quanto na destruição de pragas e no armazenamento destes alimentos. Também aprendemos a nos proteger das intempéries e criar/desenvolver medicamentos. Tudo isso foi e está sendo o responsável pela longevidade da espécie humana. A vida média de um ser humano hoje é de 60 anos para os homens e de 63 anos para as mulheres.

É fato que cada vez mais se avance na tecnologia de alimentos, remédios, habitações e prevenção da mortalidade. Estamos perante uma explosão demográfica alarmante, e o planeta está se tornando cada vez mais pobre em seus recursos naturais, explorados intensivamente e de forma irracional.

Ao longo da vida, uma pessoa consumirá em média 2.609.750 litros de água, comerá em média 35 toneladas de alimento e produzirá 40 toneladas de lixo. Além disso, serão necessárias 24 árvores para produzir todos os livros e jornais que ela irá ler.

Quanto mais seres humanos mais este planeta se esgotará.

AMAR A NATUREZA É AMAR SUA PRÓPRIA VIDA! As árvores são os pulmões da terra, sua existência é fundamental para que este planeta e a vida nele contida possam continuar vivos! Diga não ao desmatamento!

É hora de mudar!

Desde que o homem começou a se identificar com a mente, afastou-se de sua própria natureza…

Há muitos anos venho falando que nós seres humanos estamos nos tornando um câncer agressivo e estamos colocando em risco a vida deste planeta. Como todo ser vivo reage a uma bactéria, o planeta que é vivo está reagindo à nossa depredação. Não podemos continuar maltratando-o se acreditamos no futuro desta humanidade.

Ou mudamos nossa maneira de viver ou seremos engolidos por nossa própria voracidade.

Pare para refletir:  onde irão crescer seus filhos, netos, bisnetos e as gerações que virão?

Que tal começar a agir diferente em prol do futuro do nosso planeta? Com pequenas atitudes, cada um de nós pode fazer muito para ajudar! Veja como. Não espere o próximo “Earth Day” para lembrar-se do planeta terra!