Meditação Samadhi

A meditação Samadhi é uma técnica semi-passiva criada por Siddhartha em 2010. Está entre as últimas técnicas por ele desenvolvidas, recentemente musicalizada pelo Kamasutra Project e será a próxima técnica a ser masterizada e disponibilizada online.

Composta de cinco estágios, que mudam dinamicamente de ritmos e posturas. Os primeiros três estágios que compõem a primeira parte são mais ativos, sendo uma preparação para os dois últimos. Esta técnica de meditação une lembranças das tradições budistas, da Yoga e uma pitada Neo-Sufi. Baseada nas experiências dos anos da busca de Siddhartha a Samadhi é uma simbiose entre respiração, mantras, prostrações e a Vipassana Delphis, uma forma totalmente inovadora para sentar silenciosamente.

Dos cinco estágios o primeiro é o mais ativo, com movimentos sincronizados, respiração rítmica e especifica, ergue-se os braços alternadamente até a altura dos ombros, batendo os calcanhares no chão. O segundo estágio relembra as prostrações budistas. Consiste em uma sequência de movimentos enquanto entoa-se um som mantrico. No terceiro estágio a atividade é apenas dos olhos que piscam ininterruptamente.

A segunda parte, começa no quarto estágio quando sentado na posição de lótus imóvel, apenas observando a respiração, e cada vez que ouvir o som da flauta abre-se os olhos fixando-os no horizonte. Esta experiência termina com uma caminhada presente, com passos lentos e o olhar fixo a três passos à frente.

Como nasceu esta técnica

A Samadhi surgiu enquanto Siddhartha estava trabalhando na reforma da Delphis Universalis, mas só foi compartilhada pela primeira vez, durante o campo de meditação em janeiro de 2017. Quando Valdo Santos e ele tocaram a música pela primeira vez.

Foi uma experiência sublime ouvir o som que improvisaram após alguns minutos de ensaio. Tão perfeita que no mês seguinte após a vinda de Gusta Proença a Curitiba os três se juntaram, e gravaram a música.

Como todas as técnicas que Siddhartha compartilha conosco a Samadhi também tem sua história e vivência. Ele conta que ao carregar baldes de areia, pedras ou outros materiais ininterruptamente pela rampa de acesso, costumava sentar no topo do morro olhando para o jardim. Um dia que havia carregado areia, um grão entrou em seus olhos e ele começou a piscar para que este saísse. Foi neste dia que a Samadhi nasceu.

O primeiro estágio refere-se à subida da rampa, o segundo aos momentos que parava para alongar, o terceiro tirando a areia dos olhos, o quarto sentado descansando e observando o jardim e o quinto levantando e contemplando este fascinante lugar.  Todos são movimentos que ele costumava fazer diariamente durante os cinco anos de reforma.

Uma obra dois presentes

Ao entrar na Delphis todos se encantam pelos muros de pedras, assentos e caminhos permeáveis, construções artísticas, mata nativa e toques delicados por todo lado….

E o que sentimos mais lindo e tocante de tudo isso é que cada pedra, foi trazida e colocada pelas mãos do próprio Siddhartha, cada detalhe, cada canto tem o seu toque de puro amor e presença, e está lá para nós desfrutarmos.

Certa vez ele e o jardineiro carregaram uma pedra enorme que colocaram no topo do morro e Siddhartha disse: – “Esta é para alguém tocar flauta…”

Este Jardim é um encanto, convidamos você a saboreá-lo e agora que conheceu um pouco da sua história, parar para sentir a energia amorosa com que foi criado para você curtir si mesmo.

Entre tantos presentes desta obra, além deste espaço lindo que nos acolhe, ganhamos esta fascinante técnica de meditação – Samadhi -, que já vem sendo praticada na Delphis e em breve em seus espaços de meditação.

 “Samadhi é uma palavra que se origina do sânscrito “samyag” (Que basicamente significa: um estado completo de meditação) é a quarta fase do caminho do despertar. É a liberação última, do estado de dormência para o estado desperto.

Quando UM deixa de ser e volta a ser parte integrante da natureza novamente acessa o Samadhi. Por isto na Índia este termo é usado para definir um túmulo de um mestre, profeta…

A prática da meditação, é a chave para abrir a porta que há vidas estava fechada e encontrar o caminho de volta ao estado natumral de existir.

Em Samadhi, quem está no caminho da meditação se defronta face a face com a verdade, totalmente inacessível através da razão. É um espaço de absorção profunda, em que o EU desaparece e apenas a essência de nossa natureza permanece. Sua natureza é meditação!

Siddhartha

Veja Também: Instruções desta técnica