Mata Nativa, Meditação e Natureza

Nativo nem tudo que cresce no mato é. Todos devem estar se tocando das condições extremas climáticas que vem atingindo todo o planeta cada vez mais intensamente.

Há anos Siddhartha em seus discursos vem falando deste fenômeno usando a metáfora “se continuarmos assim o planeta terra irá se coçar como um cachorro cheio de pulgas”. Bem! Esta coceira começou e de maneira brusca. Há muito que pode ser feito para reverter a situação, mas é necessário que a humanidade toda se dedique à terra em primeiro lugar e se cada um fizer sua parte, pequena ou grande que seja, ainda teremos uma chance.

Desde que a Delphis surgiu, em sua sede em Curitiba havia um jardim estilo europeu minuciosamente cuidado pelas mãos de um homem holandês. Siddhartha deixou-o nas mãos da existência e este jardim aos poucos foi passando por uma transformação notável.

Um dia, veio até ele um jardineiro oferecendo seus serviços, o homem criticou as condições do jardim dizendo que era uma desgraça.

Siddhartha respondeu que já havia jardineiro e que não precisaria do seu trabalho, o homem resmungou: “que tipo de jardineiro faria um serviço tão mal feito?”

Siddhartha replicou: “se você se acha melhor do que  meu jardineiro então venha, pode entrar, mas primeiro preciso lhe apresentar o jardineiro que cuida daqui, seu nome é deus, se você se acha melhor do que ele, por favor,  venha!”

O homem sorriu e disse: “aí me pegou não tenho esta capacidade, tenha um bom dia!” e se foi….

Mas deixar o jardim apenas por conta da existência não é suficiente, e demoraria muito mais tempo para consertar os estragos causados pela ignorância humana, pois muitas árvores e plantas no jardim eram exóticas e/ou invasoras, ou seja,  não pertenciam  à nossa biodiversidade.

A Sociedade de pesquisa em vida selvagem e educação ambiental SPVS. Nativo do Paraná.

Foi exatamente neste momento que caiu em nossas mãos um livreto “Nossas Arvores” da SPVS e ao examiná-lo sentimos que o caminho era plantar NATIVO para que o jardim se tornasse um espaço de mata nativa novamente, podendo ser um amparo para a fauna  local que tenta sobreviver na cidade em contínua expansão.

Algo muito forte nos dizia que se plantássemos nativo estaríamos criando um corredor entre mato, cidade e mato para que animais nos seus caminhos pudessem parar para descansar.

Mas mesmo com o livro em mãos passamos a entender que as floriculturas nem sempre têm ideia do que estão vendendo e que algumas espécies vendidas como “nativas” nem sempre são, mesmo que tenham nomes iguais, não são as mesmas espécies.

Pessoas vinham com mudas dizendo que crescia no mato e, de repente, nos encontrávamos com mais uma espécie exótica invasora que, em pouco tempo, tomava conta do espaço sem deixar as nativas desenvolverem e morriam… Nem tudo que cresce no mato é nativo!

Em 2006 após apanhar muito, a Delphis afiliou-se à SPVS – sociedade de pesquisa da vida selvagem e educação ambiental – com sede em Curitiba (facebook) que apoiamos até hoje e passamos a fazer parte do Projeto ComBio que é exatamente aquilo que nos propomos fazer desde o começo.  Através desta união, passamos a entender mais a respeito da natureza do Paraná.

Em seguida,  com a ajuda desta entidade e da Sociedade Chauá descobrimos as verdadeiras espécies nativas e, assim fomos trocando as espécies exóticas por nativas.

No começo parece algo impossível e árduo, dói o coração cortar qualquer árvore mas, aos poucos, com um toque de amor e apoio destas entidades tornou-se uma das experiências mais saudáveis e lindas que já pudemos viver.

O Jardim de mata nativa da Delphis Universalis.

Voltando ao jardim… quando viemos para ca era um lindo jardim. Pássaros comuns nos visitavam diariamente como sabiás, bem-te-vis, rolinhas, pardais e periquitos. Esporadicamente apareciam beija-flores, alguns insetos como abelhas africanas, moscas, mosquitos, lagartos, formigas, cupim e algumas espécies de borboletas.

Desde que a mata foi voltando com vigor e as flores e frutas nativas também. As espécies que nos visitam hoje em dia, simplesmente, se multiplicaram e já avistamos e vemos diariamente mais de cem tipos de aves, serelepes, gambás e até, raramente, aparecem sapos, entre outros.

Insetos de todos os tipos estão passeando por aqui e há mais ou menos três anos, nossas noites ficam iluminadas com o pisca-pisca dos vagalumes no meio da mata.

É um presente especial viver esta metamorfose, fazendo nossa parte, trazendo de volta o que é nativo, convida a vida a voltar aqui e repovoar este pequeno paraíso.

Faça como a Delphis, apoie uma entidade que cuida da natureza e caso tenha um espaço, jardim ou sitio,  plante nativo,  sua colaboração, mesmo que pareça pequena, pode mudar para melhor a saúde do nosso amado planeta. Afinal, este mundo é um milagre por si só, o homem tem destruído a harmonia deste milagre, mas não é um ser destrutivo por natureza…

Algumas das espécies removidas:

Alfeneiros / amoreiras / uva do Japão / ciprestes / abacateiros / cinamomo /  Pau de Incenso / Ficus Begnaminus / Lírio do brejo / Bananeiras / Cipó africano / Jasmim estrelado / Beijinho (Maria sem vergonha) / roseiras / Copo de Leite / samambaia rabo de gato / Costela de Adão da serra do mar / Ibiscus / Azaleia / varias espécies de plantas de bulbo / Hortência.

Algumas das espécies plantadas:

Canela Sasafras / Dedaleiros / Araçás / Pitangueiras / Jerivas / Butiás / Ipêzinhos amarelo / Ipê Rosa / Ipês Roxo / Erva Mate / Ipês Verde / Canelas Imbuia / Canelas Preta / Pinheiros Bravo / Araucária /  Tarumãs / Aroeira / Cedro Rosa / Uvaranas /Quaresmeiras  / Carandaí / Cipó de São João / São João / justiça rosa, justiça vermelha / sininho branco e rosa / lanterninha  / Cambuí / brinco de princesa /  coreana amarela / lantana / begônia / Farropilha / Samambaias nativas / Sálvia nativa /  manacá / Orquídeas nativas / bromélias nativas / avencas /Pavonia Rosa / Cipó de mil homens /  Espinheira Santa / baga-de-veado / duranta-azul.

Equipe Delphis